Sobrecapa

o site que divulga a literatura nacional

Convite de lançamento de A barca dos feiosos, de Claudia Nina

março 19, 2011 Publicado por | Convites de Lançamentos, Infantil | , , | Deixe um comentário

Lançamento de Um menino chamado Negrinho, de Hellenice Ferreira

 

  

As histórias do nosso folclore tendem a grudar em nossas lembranças, deixando-nos uma ligação tênue com o passado, com o que vivemos. Mas o melhor de ouvi-las novamente, é ouvi-las com um novo olhar, com um texto que recria, que encanta.

É isso que Hellenice Ferreira faz com a lenda do Negrinho do Pastoreio, recontando sua história no livro Um menino chamado Negrinho (Ed. Escrita Fina).

Não é só o texto de Hellenice que encanta, mas as lindas imagens do ilustrador Luís Silva,  também autor do belíssimo O livro da avó (Ed. Escrita Fina) (Prêmio Byssaia Barreto de Ilustração em 2008).

 

Confira o release da obra:

Reconto de narrativa popular lança luz à história do menino que ajuda, até hoje, aqueles que procuram um objeto perdido. 

Dizem que a lenda nasceu no Sul do país. Mas breve se espalhou a galope pelos quatro cantos. Tanto que, aqui e acolá, quem perde alguma coisa recorre logo à fé no Negrinho do Pastoreio, a quem são atribuídos os poderes de encontrar objetos perdidos. Figura das mais assíduas no imaginário popular brasileiro, rememorado desde cantigas para crianças até textos sociológicos mais sisudos, fato é que o moleque sem nome, nascido escravo e afilhado de Nossa Senhora, tem sido sempre um guri querido por toda a gente, símbolo dessa matreirice infantil que nos convoca à busca por um mundo mais alegre e justo. 

Pois Hellenice Ferreira decidiu recontar a narrativa popular para as crianças de nossos tempos, com a ajuda dos pincéis deslumbrantes ― e melancólicos ― do ilustrador Luís Silva, natural de Luanda e que, por isso mesmo, carrega a memória de uma África maternal, a mesma que deu origem ao Negrinho sem nome.

A história contada nessas páginas é famosa: o menino, chamado simplesmente “Negrinho”, era escravo numa fazenda. Não tinha família, e cuidava com apreço dos cavalos de seu patrão. A vida dura não era problema. Transbordava felicidade, e adorava os cavalos.

Um dia, porém, fugiu o animal preferido do senhor. Com a ajuda de sua madrinha Nossa Senhora, Negrinho encontrou o cavalo. No dia seguinte, porém, não teve a mesma sorte: sem conseguir achar o bicho fujão, o menino foi castigado e abandonado num formigueiro. Só que um milagre marca o desfecho da história, elevando o menino à dimensão de símbolo de esperança e fé, que ultrapassa traços religiosos e espaços geográficos.

 

Sobre a autora e o ilustrador:

A Autora: Um menino chamado Negrinho é o quarto livro de Hellenice Ferreira, filósofa e especialista em arteterapia. Professora da rede municipal de ensino de Duque de Caxias (RJ), a autora deu início, em 2002, ao Programa de Incentivo à Leitura Livro, Arte e Cia., por meio do qual dinamiza projetos cujo objetivo é incluir a leitura, em suas variadas possibilidades, na agenda cultural de sua cidade.

O Ilustrador: Luís Silva é natural de Luanda e vive em Portugal desde os seis anos. É ilustrador desde 1997. Dentre os livros que publicou, destacam-se O livro da avó (Prêmio Byssaia Barreto de Ilustração em 2008), cuja edição brasileira surgiu pelas mãos da Escrita Fina, e O senhor das palavras, com texto de Isabel Rosas.

 

Lançamento:

20 de março, às 16h,
na Livraria Museu da República – Museu da República
Rua do Catete, 153 – Catete (RJ)
Haverá contação de histórias.

 

Um menino chamado Negrinho
Hellenice Ferreira
Ilustrações de Luís Silva
Editora Escrita Fina (40 pp., R$ 18,00)

 

Leia um trecho:

Cuidava o dia inteiro dos bichos
e, à noite, os levava às suas baias
sorrindo, sentindo a viração soprar
em suas bochechas. Que delícia!
Já estava longe de seus pais
havia tanto tempo que ninguém mais
se lembrava de seu nome.
Atendia então quando chamavam:
– Negrinho! Negrinho!
Negrinho!…

 

Certa feita, o cavalo preferido de
seu senhor fugiu e o homem, severo,
ameaçou Negrinho de morte se não
o encontrasse!

março 16, 2011 Publicado por | Infantil | , , | 1 Comentário

Betina tem um problema, de Livia Garcia-Roza

 

Livia Garcia-Roza além de presentear os adultos, ainda divide seu talento com as crianças e os jovens. Afinal, seu primeiro livro foi o inesquecível juvenil Quarto de Menina. Então, nada mais justo que ela continue transitando pela literatura infanto-juvenil, oferecendo-nos a maestria de sua narrativa divertida e inteligente.

Em 2008, Livia encantou as crianças com o infantil A casa que vendia elefantes. Uma história deliciosa que traz as aventuras de Betina, uma menina que luta para realizar seu sonho: ter um elefante para tomar conta de suas bonecas. Agora em 2010, a Betina está de volta, com outras ideias. Nesse caso, mais do que ideia, um problemão. Quer saber qual? Então, leia o novo livro de Livia Garcia-Roza: Betina tem um problema.

Para quem ainda não a conhece, Livia estreou na ficção com o romance Quarto de Menina (selo Altamente Recomendável da FNLIJ) e é autora de vários livros que figuraram entre os finalistas de prêmios importantes como o Jabuti, Portugal Telecom e Prêmio São Paulo de Literatura.

Mais…

- Leia perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Leia entrevista da Livia ao José Castello, no Paiol Literário, promovido pelo Jornal Rascunho;
- Veja outras ilustrações do livro no blog da Mariana Massarani.

Betina tem um problema
Livia Garcia-Roza
Ilustrações de Mariana Massarani
Editora Galerinha Record
, 26 págs (preço a conferir. Nas livrarias a partir de 10 de dezembro)

Leia um trecho do livro:

“Nunca tinha falado isso nem pro meu cachorro, Maluco. Papai que botou o nome no meu cachorro. Mamãe pediu pra que ele trocasse o nome, mas não adiantou. Maluco ficou Maluco mesmo. Papai achava que se os cachorros falassem, falariam em inglês. Acho que eu também acho.” 

dezembro 5, 2010 Publicado por | Infantil | , , | 5 Comentários

Por quê, Por quê, Por quê, de Flávia Côrtes

 

 

Flávia Côrtes se encantou com os livros quando nem sabia ler ainda. Aos cinco anos estava lendo e os livros não mais a abandonaram. Mas eles se tornaram companheiros não só na leitura, mas na escrita também, que se iniciou aos seis anos. Começou com versos, depois pequenos capítulos de romances escritos para as amigas. Confirmou seu dom ganhando todos os concursos de poesia dos quais participou, na adolescência. Daí não tinha outro caminho. Flávia se formou em Letras e se especializou em Literatura Infantil e Juvenil. Participou de várias oficinas e hoje é ela quem corre esse país ministrando oficinas. 

E para dividir conosco esse seu amor pelos livros, Flávia nos traz seu quinto livro: Por quê? Por quê? Por quê?, sobre um menino pra lá de curioso e sobre aquela fase da vida em que os porquês se repetem e que resposta nenhuma é suficiente.

Para saber mais da autora, visite seu blog: http://www.flaviacortes.com.br

Lançamentos:

* Dia 23 de maio (dom), a partir de 16h00,
na Livraria da Travessa do Barra Shopping 
(RJ)
Av. das Américas, 4666 – Nível Américas – loja 220 - RJ
(21) 2430-8100

* Dia 11 de junho (sex), às 10h00,
no Salão do Livro FNLIJ
 

* Dia 14 de junho (seg), às 15h00,
no Salão do Livro FNLIJ

Acesse o convite.

 

Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Acesse o blog da autora;
- Acesse o blog dos livros publicados pela autora;
- Acesse os textos de seu blog La passion par la parole;
- Acompanhe a autora pelo Twitter;
- Leia o artigo “Como destruir o processo criativo ou Desconstruir a educação” escrito pela autora.

Por quê? Por quê? Por quê?
Flávia Côrtes
Ilustrações: Sandra Ronca
Zit Editora, 32 págs, R$ 19,90

Leia o texto da quarta capa:

“Vai ter um dia que toda criança vai nascer sabendo que tem pergunta que não adianta fazer pra gente grande. Até lá, enquanto não se cansa de ficar sem receber resposta, teima, espera, sonha com muitos e muitos porquês. E olha que o porquê não é só um; são muitos, tem ainda o por que, o por quê e o porque. Este último parece mais esperto porque é o porquê que responde.
Mas, quando a gente olha direito, saca o truque: tem resposta que não responde e esse porque nem sempre diz o porquê. Daí, coitada da criança… fica fazendo pergunta que gente grande já não faz mais, já desistiu de fazer.
O livro da Flávia é a fala dessa criança. Que não se enche da vida, mesmo sem saber porquê.”
(Luiz Antonio Aguiar)

Leia um trecho do livro:

“Por que será que, quando durmo, não paro de respirar? Por que será que, acordado, não dá pra sonhar? Ou será que dá?”

maio 23, 2010 Publicado por | Infantil | , , | Deixe um comentário

Histórias Mágicas para Netos Incríveis ou Histórias Incríveis para Netos Mágicos, de Vera Perestrello

 
 
 

capa

 

Vera Perestrello é psicóloga e psicanalista, mas vamos conhecê-la como uma avó mágica que em parceria com o neto Tom Midani criou um livro diferente para crianças. Um livro que na realidade é para avós como ela. Para avós, filhos e netos, pois história boa é para qualquer leitor.

Histórias Mágicas para Netos Incríveis ou Histórias Incríveis para Netos Mágicos resgata o antigo hábito de avós contarem histórias a seus netos na hora de dormir – doces momentos de aconchego e ternura, que reforçam os laços amorosos e permite que a mágica da fantasia faço o elo entre o sonho e a realidade.

Tom tem sete anos, mas é o heroi das histórias, apesar de seu nome não aparecer. É para ele que as histórias são escritas. Leitor desde os cinco anos, dá opinião e sugestões, completando essa magia.

É justamente nessa zona de limites imprecisos que nasce a imaginação, livre e infinita, enriquecendo os pensamentos dos netos que frequentam os colos fartos de seus avós.

Lançamento:

* Dia 27 de maio (ter), a partir das 19h00,
na Livraria Argumento
(RJ)
Rua Dias Ferreira, 417 – Leblon – RJ
(21) 2239-5294

Acesse o convite.

 Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Leia um poema da autora, publicado na Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos.
 

Histórias Mágicas para Netos Incríveis ou Histórias Incríveis para Netos Mágicos
Vera Perestrello
Ilustrações Miguel Carvalho
Editora Caravansarai, 72 págs, R$ 29,00

 

Leia texto da quarta-capa, escrita por Livia Garcia-Roza:

“As histórias nos leem. A força delas reside nisso. E o resultado aí está, nesse livro cativante no qual Vera Perestrello conduz o leitor através de seu herói – um menino que ao acordar abre um olho de cada vez – esperto e destemido, que tem vários companheiros de aventuras, entre eles, um macaquinho falante e mágico.

Juntos, eles viajam à Terra do Nunca ao encontro de personagens famosos como Peter Pan, Sininho, Capitão Gancho e outros; além de fazerem viagens fantásticas pela “Janela do Tempo.”

Narradas com habilidade, ritmo e humor, são histórias realmente incríveis e mágicas.” 

 

abril 25, 2010 Publicado por | Infantil | , , | Deixe um comentário

Diomira e o Coronel Carrerão, de Ivana Arruda Leite

capa

Ivana Arruda Leite ficou conhecida como uma grande ficcionista, primeiro com os contos e agora com os dois romances publicados – Hotel Novo Mundo e Alameda Santos. Mas quem tem o dom da palavra, sabe achar o caminho para falar a todos os leitores. E foi seguindo esse chamado que ela lançou esse ano seu primeiro livro infantil: Diomira e o Coronel Carrerão.

O livro conta a história de Diomira, a Sherazade do sertão, e da milenar artimanha que ela usa para conquistar o coração do Coronel Carrerão, homem de notória brabeza. Neste livro, Ivana reconta histórias que ouviu de uma tia, num terraço da infância, em tardes calorentas da noroeste. E ela não esconde que foi um dos livros que mais gostou de escrever.

Mas o livro não é apenas uma boa história, mas também uma homenagem a um dos maiores ficcionistas que temos: Raimundo Carrero.

Sobre a história:

Era uma vez um príncipe que abriu mão da fortuna e saiu pelo mundo com a roupa do corpo. Era uma vez um caipira que vivia com um papagaio dentro de um saco. Era uma vez um homem muito esperto que bateu na casa de uma viúva dizendo ter notícias do marido morto. Era uma vez um homem muito bravo que vivia sozinho em sua fazenda sem ninguém pra lhe fazer companhia nem pra tirar um dedo de prosa. Sua rabugice espantava todo mundo. As pessoas queriam distância do velho mandão que só sabia reclamar. Esse era o coronel Carrerão, na casa de quem Diomira foi trabalhar. Só que a moça, muito esperta, acabou descobrindo um jeito de pôr fim na rabugice do velho. Descubra como nas páginas de Diomira e o coronel Carrerão.

O lançamento ocorreu em fevereiro de 2010.

Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Saiba mais no blog da autora;
- Acesse postagem do blog da Ivana, com divulgação de páginas do livro;
- Veja divulgação de Diomira no Guia da Folha;
- Leia sobre o lançamento em Recife com a presença de Raimundo Carrero (Parte 1) e (Parte 2);
- Leia resenha que saiu no Diário de Pernambuco, escrito por Thiago Corrêa;
- Leia divulgação feita no site O Livreiro

Diomira e o Coronel Carrerão
Ivana Arruda Leite
Ilustrações: Fê
Brinque Book, 48 págs, R$ 29,60

 

abril 10, 2010 Publicado por | Infantil | , , | 3 Comentários

JK, o lobo-guará, de Alessandra Pontes Roscoe

 

capa

Alessandra Roscoe é jornalista e escritora, mas o que mais me chamou a atenção foi o que ela fez com o que transbordou do amor de mãe. Foi contando histórias para sua filha Beatriz, que surgiu seu primeiro livro: “A menina que pescava ideias”. Mas não parou aí essa parceria, de contadora e ouvinte. Beatriz, então com 6 anos, fez questão de desenhar as ilustrações da história que havia sido não só inventada pela mãe, como contada e recontada várias vezes. A parceria voltou a acontecer em outros livros. Hoje, é o filho do meio, Felipe, que ensaia novas co-autorias. Realmente a família começou cedo. A própria Alessandra teve, aos 9 anos, um conto publicado numa antologia, de um concurso promovido pela escola.

Mãe de três filhos, Alessandra já deu a luz a cinco outras paixões: seus livros infantis, com outros seis na incubadora para vir à luz em 2010.

E para alegrar seus filhos e todas crianças, Alessandra lança em abril JK, o lobo-guará, uma divertida história, com ilustrações de Jô Oliveira, que apresenta a história da construção de Brasília e os encantos da capital, onde moram autor e ilustrador.

Para as crianças, a criação de Brasília é um bom exemplo de que é possível realizar sonhos. Construída a partir do desejo do então presidente Juscelino Kubitschek, e projetada pelo urbanista Lúcio Costa e pelo arquiteto Oscar Niemeyer, Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1960. Cinquenta anos depois, entre a natureza do cerrado e as grandes construções, vive o simpático lobo-guará criado por Alessandra Pontes Roscoe em JK, o lobo-guará. O personagem recebeu este nome em homenagem ao ex-presidente “bossa nova”.

Com o lobinho, a escritora desvenda em poesia os mistérios das belas construções e da cultura de Brasília. JK faz sua morada em pequizeiros, paineiras, manacás e no Lago Paranoá; e celebra a arte de concreto erguida com o suor dos candangos (que vieram de todas as regiões do Brasil para construir a suntuosa capital). Em sua beleza única, a cidade exalta todos os “brasis”. Rica em flora, Brasília possui cerca de 3 mil espécies de vegetação. Entre as variedades da fauna, destacam-se animais como o veado-campeiro, a garça, a ema, o tamanduá, entre outros.

JK admira a beleza de Brasília, mas permanece com uma dúvida: seria ele um animal da cidade ou da mata? Espécie quase em extinção e nativa do cerrado, o lobo-guará do livro fica dividido entre a saudade da mata e a paixão pela cidade. Afinal, foi em Brasília que JK conheceu o Festival de Cinema, o Clube do Choro, as árvores em flor o ano inteiro e se apaixonou pela cultura. Mas ele não é o único. A experiente capivara, amiga de JK, sofre o mesmo dilema. Apesar de seu habitat natural ser a mata, ela não pode negar seu amor pela urbanidade. Juntos, eles exploram os segredos de um sonho monumental que se tornou realidade.

Como uma fábula em versos, JK, o lobo-guará mostra aos jovens leitores os encantos da capital federal, aborda a história da chegada dos candangos e não deixa de apontar também os problemas da cidade. Mas destaca: riscada nas pranchetas do arquiteto e harmonizada à natureza, Brasília é prova viva de que é possível alcançar sonhos. E mais: com beleza e graça.

Lançamento:

* Dia 10 de abril (sáb), a partir de 16h00,
na Livraria Saraiva MegaStore 
do Shopping Pátio Brasil, em Brasília (DF)
SCS Quadra 07, Bloco A - Asa Sul – Brasília – DF
(61) 2107-7400

* Dia 30 de maio (dom), a partir de 11h00,
na Livraria Argumento 
(RJ)
Rua Dias Ferreira, 417 – Leblon – RJ
(21) 2239-5294

Acesse os convites.

 Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
Acompanhe Alessandra pelo Twitter;
- Acesse o blog da autora;
- Saiba mais sobre a autora na entrevista publicada no blog Jornalista Escritor.

JK, o lobo-guará
Alessandra Pontes Roscoe
Ilustrações de Jô Oliveira
Editora Melhoramentos, 32 págs, R$ 25,00

 

abril 6, 2010 Publicado por | Infantil | , , | 1 Comentário

“O segredo da gravata mágica” e “O segredo da bolsa mágica”, de Henrique Rodrigues

CAPA

capa

 

Henrique Rodrigues, quando era garoto, gostava de subir em árvores, pois acreditava que eram navios. A imaginação fértil o levou para o caminho da escrita, por onde já passeou pelos poemas e contos. Agora, Henrique vem encantar o mundo infantil com dois livros escritos com uma linguagem poética e cadenciada, típica das histórias que são contadas oralmente. 

Em O segredo da gravata mágica e o O segredo da bolsa mágica, Henrique imagina e nos pede para imaginar simples acessórios utilizados no dia-a-dia, uma bolsa e uma gravata, que possam ser capazes de revelar um segredo sobre elas. 

Em O segredo da gravata mágica é contada a história de uma gravata borboleta que costuma diminuir de tamanho e ficar apertada caso quem a estiver usando não seja de boa índole. E assim, ela vai passando de pescoço em pescoço por diferentes lugares e épocas, até encontrar quem seja digno de usá-la. 

Já em O segredo da bolsa mágica, uma pequena bolsa lilás sempre faz sumir o seu conteúdo caso a menina que a estiver usando seja malcriada. Assim como a gravata, a bolsa mágica é rejeitada por todos e também passa por várias donas de diferentes lugares, em busca de uma menina de quem não precise fazer sumir os objetos guardados. 

O lançamento ocorreu em novembro, na Primavera dos Livros.  

Mais…  

- Leia o perfil do autor aqui no Sobrecapa;
- Saiba tudo sobre o autor, em seu site;
- Leia sobre o lançamento no blog da ilustradora Júlia Lima.
  

O segredo da gravata mágica e
O segredo da bolsa mágica

Henrique Rodrigues
Ilustrações: Júlia Lima

Editora Memória Visual, 20 págs (cada), R$ 24,90 (cada)

fevereiro 20, 2010 Publicado por | Infantil | , , | Deixe um comentário

A menina que ia para longe, de Marta Lagarta

capa

Quem conhece um pouquinho Marta Lagarta, sabe que ela é uma menina grande ao mesmo tempo que é uma grande menina. Cheia de histórias, cheia de alegria para transbordar em suas histórias. Uma mulher com alma de criança, com coração de fada, com jeito de menina arteira. Ou seria tudo ao contrário. Não importa, pois é tudo isso misturado. Duvida? Dê um pulinho na seção Entrevistas e confira suas respostas deliciosas e os comentários de seus amigos e fãs.

Nesse seu novo livro, temos um conto popular que vira texto infantil depois de ter passado muitos anos só na lembrança de Marta Lagarta. A menina que ia para longe é uma história que havia sido contada pela avó da autora na sua infância. O reconto de Marta ganhou uma edição com imagens digitais de Guto Lins.

Nessa divertida história, uma menina caminha, caminha, caminha e tem divertidas conversas com os personagens que vão surgindo. Nas diferentes situações, a menina perde várias coisas e vai fazendo trocas ao longo da sua caminhada. A história mostra a importância de a criança aprender a lidar com a perda e seguir em frente, no caminho florido comprido, e também de entender que sempre haverá lugar para algo novo entrar na sua vida.

Uma lição do que é doar o que temos e descobrir que à frente sempre há uma recompensa.

O lançamento ocorreu em 2009.

Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Leia entrevista com Marta Lagarta aqui no Sobrecapa.

A menina que ia para longe
Marta Lagarta
Ilustrador: Guto Lins
Editora Projeto, 24 págs., R$ 31,00

Leia abaixo trechos do livro:

“Era uma vez uma menina que adorava caminhar. Todos os dias ela ia para longe muito longe. A menina era mais ou menos do seu tamanho e vinha de uma terra que ninguém sabe onde.”

“A menina chegou ao caminho mais florido do mundo. E respirou bem fundo para melhor sentir o perfume das flores: rosas, lírios, jasmins, margaridas… Tão cheirosas e coloridas, que até dava vontade de comê-las. ” Mas meninas não comem flores”, ela pensou, já com um pouco de fome. E continuou seu caminho.
A fome aumentando, a menina andando. A fome apertando, a menina aflita. “Nenhuma árvore frutífera”, ela estranhava. O caminho florido também era comprido muito comprido.”

 

janeiro 6, 2010 Publicado por | Infantil | , , | 1 Comentário

Inventa-desventa, de Marta Lagarta

capa

capa

Marta Lagarta já trabalhou em tevê, teatro, cinema, circo e oficinas de artes. É contadora de histórias, foi professora de artes cênicas, produziu co-roteiros para documentários, encartes infantis para jornais e revistas. Foi roteirista do programa Topo Giggio, teve seu próprio programa infantil na Rádio Cabo Frio. Mas em um determinado momento, Marta largou tudo para se dedicar exclusivamente à literatura. Coragem e talento que deram frutos. Nos últimos três anos, Marta publicou seis livros infantis. O último é o Inventa-desventa.

Você conhece o inventa-desventa? Esta é a brincadeira favorita do menino Pedrinho. Quando está sozinho com seus brinquedos espalhados pelo quarto, ele escolhe, espalha, desencaixa, destroca e inventa uma porção de novos brinquedos!

Com massinha ou desenhando, um carrinho sem roda e um boneco sem pé se transformam em um boneco de roda e um carrinho com pé; uma aranha sem teia e uma menina sem trança viram uma menina de teia e uma aranha de trança. Com este livro, as crianças embarcam nesta brincadeira divertida e deliciosa, repleta de cores e criatividade!

Lançamento:

Dia 16 de setembro, às 11h00 e 14h00, na Bienal do Livro do Rio
(Estande da Editora FTD na Bienal – I08 / H05)

Mais…

- Leia perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Leia entrevista com Pedro Bandeira, em que ele cita Marta Lagarta;
- Leia sobre a visita de Marta ao Colégio Marista.

Inventa-desventa
Marta Lagarta
Ilustrações de Guto Lins
Editora FTD, 32
págs, R$ 26,90

setembro 14, 2009 Publicado por | Infantil | , , | 1 Comentário

O fado padrinho, o bruxo afilhado e outras coisinhas mais, de Anna Claudia Ramos

capa

capa

Anna Claudia Ramos já atingiu a marca dos 40 livros publicados. E sempre com uma história encantadora. Em 2009, alguns projetos vieram à luz. Entre eles, o juvenil A História de Clarice (divulgado aqui no Sobrecapa). Agora é a vez de O fado padrinho, o bruxo afilhado e outras histórias. Antes de chegarmos ao enredo, o título já nos faz sorrir e desperta o interesse. Quem não fica curioso sobre a história de um fado padrinho? 

Nesse infantil, Luar deseja se transformar em um fado padrinho, afinal, quem decidiu que só meninas podem se tornar fadas madrinhas? Sua vontade de ajudar as pessoas é tanta que ele decide sair pelo mundo, com seu gravetinho mágico, à procura de pessoas que estejam precisando de ajuda. Em sua busca, Luar vai passar por muitas confusões e esbarrar com muita gente até conseguir o seu primeiro afilhado!

O lançamento ocorreu em abril e em junho no Salão do Livro.

Mais…

- Leia perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Acesse o site da autora;
- Leia matéria sobre o livro, publicada no Diário Catarinense;
- Leia entrevista de Anna ao escritor e ilustrado Maurício Veneza.
 

O fado padrinho, o bruxo afilhado e outras coisinhas mais
Anna Claudia Ramos
Ilustrações de Tatiana Paiva
Editora Prumo
32 págs, R$ 28,90

 

setembro 7, 2009 Publicado por | Infantil | , , | 1 Comentário

O casamento da princesa, de Celso Sisto

capa

capa

Celso Sisto é escritor, ilustrador, ator, tem mais de 30 livros publicados e ainda divulga a literatura como contador de histórias, ministrando cursos, palestras, enfim, respirando literatura.

Em seu novo livro, Celso nos presenteia com uma belíssima adaptação de um conto popular originário da África Ocidental. O casamento da princesa é uma história repleta de simbologia e significados. História essa similar as que eram contadas pelos mais velhos aos mais novos. Lendas passadas de geração a geração. 

Abena, a mais bela princesa da África Tropical, está finalmente apta a se casar. Com o passar dos anos, sua beleza só se fez aumentar,  despertando a ternura e paixão de quem a rodeia. A notícia da singela graça da moça percorre todo o continente e logo surgem vários pretendentes. Os primeiros a disputar a mão da princesa são dois concorrentes de peso: o Fogo e a Chuva.

A Chuva, delicadamente, promete à princesa toda a vitalidade que a água proporciona: crescimento de plantações, multiplicação das colheitas… “Graças a mim, teremos sempre água pura para beber e rios cristalinos, cheinhos de peixes, onde se pode nadar e pescar” – foi a sua oferta. Diante de palavras tão musicais, a solitária Abena aceita a proposta da chuva, sem ter o conhecimento do que acontecia naquele exato instante.

O Fogo, consciente de seu poder, discursa para o pai de Abena: “Minhas chamas mantém os animais perigosos ao longe, cozinham a comida diariamente, iluminam as intermináveis noites escuras e aquecem o corpo durante o frio” – palavras fortes o suficiente para impressionar o Rei que, deslumbrado, cede a mão de sua filha.

Apaixonada pela Chuva, mas prometida para o Fogo, a princesa Abena cai em profunda tristeza e, para não ver a beleza de sua filha desaparecer, o Rei tem uma ideia. Uma disputa entre a Chuva e o Fogo encerraria o impasse. O vencedor do duelo teria a mão da princesa. A notícia sobre o maior embate já ocorrido corre pela África toda e todos (principalmente Abena) estão ansiosos para saber qual será o resultado final.

É neste tom de fábula que o autor Celso Sisto resgata a magia por trás dos contos africanos. Os guaches da ilustradora Simone Matias ajudam a dar forma aos tons quentes da África Tropical onde a obra é retratada: “Fiz pesquisas sobre o povo ashanti: vestuário, tambores, joias, trono do rei, estandartes”, diz.

Com uma história repleta de simbologia e significados, O casamento da princesa adapta para as gerações atuais a oralidade da cultura africana, repleta de deuses e mistérios, tornando-a desta forma, atemporal.

Mais…

- Leia o perfil do autor aqui no Sobrecapa;
- Acesse o site do autor;
- Acesse o blog do autor;
- Leia resenha do seu livro, escrita por Romí de Liz, publicado no Diário Catarinense;
- Leia resenha do seu livro, escrita por Ludmilla Balduino, publicado no Portal UOL Crianças;

O casamento da princesa
Celso Sisto
Ilustrações de Simone Matias

Editora Prumo, 32 págs., R$ 28,90

agosto 21, 2009 Publicado por | Infantil | , , | 7 Comentários

Bonifácio, o porquinho, de Marilia Pirillo

capa

capa

Marilia Pirillo nos faz sorrir ao vermos suas ilustrações. E em 2009 nos faz sorrir também ao lermos seus textos. Esse ano já nos encantou com Bagunça e arrumação (divulgado aqui no Sobrecapa). Agora nos presenteia com Bonifácio, o porquinho.

Bonifácio era um porquinho um pouco diferente: tinha nojo de lama, não gostava de brincar no chiqueiro e até quis aprender a nadar no riacho. Os pais se preocupavam com aquelas manias e ficaram indignados quando Bonifácio quis se tornar bichinho de estimação do filho do fazendeiro. Mas foi então, jogando futebol com o menino, que o porquinho descobriu como era bom brincar sem medo de se sujar e, depois, tomar um banho bem gostoso. Essa história, que é a de tantas crianças, é contada com muito humor pelo texto ágil e pelas ótimas ilustrações de Marilia Pirillo.

Lançamento:
Dia 23 de agosto, às 16h00, na Livraria Travessa - Shopping Leblon
(Av. Afrânio de Mello Franco, 290 – 2º andar – Leblon – RJ. Tel 21-3138-9600)

Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Veja divulgação do seu livro Bagunça e arrumação aqui no Sobrecapa;
- Confira no site da autora suas ilustrações, divagações e livros publicados

Bonifácio, o porquinho
Marilia Pirillo
WMF Martins Fontes, 32 págs., R$ 29,80

agosto 19, 2009 Publicado por | Infantil | , , | Deixe um comentário

Casal Verde, de Índigo

capa

capa

Índigo tem mais de 20 livros publicados, entre infantis e juvenis. E se dá ao luxo (não financeiro, claro!) de se dedicar exclusivamente à carreira literária. Sua originalidade e humor fizeram com que, em 1998, o mercado a descobrisse, após começar a oferecer seus serviços de “escritora particular”, distribuindo pela cidade de São Paulo 500 cartazes com o texto “Contrate uma Escritora/Originalidade Garantida”. A ideia lhe rendeu vários convites de trabalho. Mas foi em 2001 que Índigo se encontrou no que mais gostava: escrever para crianças. E daí em diante não parou mais. E os novos frutos já apareceram. Em 2006 conquistou o prêmio Literatura para Todos e a Bolsa de Criação Literária do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Em 2008 foi finalista do Prêmio Jabuti, com o seu livro juvenil “A Maldição da Moleira”.

E seguindo sua estrada de pedras amarelas, nesse final de semana, Índigo colocou mais um filhinho no mundo, o infantil Casal verde. Mas a estreia ainda foi com frio na barriga, como ela mesmo diz. Afinal Índigo tem a consciência da responsabilidade que é lançar um livro infantil.

Em Casal Verde, conhecemos a história do amor proibido de Sílvia Pereira – uma simpática árvore fícus que não dava peras – e Walter Nogueira – um popular flamboyant que não dava nozes.

Com a ajuda de Benjamim – o bem-te-vi – o impossível pode tornar-se viável; caso eles consigam, é claro, vencer a padronização do jardineiro e o corporativismo do paisagista do Plaza Center.

Neste seu novo livro, Índigo quis dar vida às árvores, dar-lhes “uma postura ativa e temperamental, com desejos e sentimentos, mas respeitando suas limitações naturais”. A autora ainda admite que retratou o dia a dia das árvores urbanas, convivendo com poluição, carros e a falta de respeito das pessoas que as enxergam como lixeiras. Ela realizou seu intento com a ajuda das belas ilustrações de Mariana Zanetti.

Para conferir mais sobre Índigo, basta entrar em seu blog. Logo de cara será possível conferir os serviços literários que ela oferece, mas Índigo deixa bem claro: ela não escreve poesia, por  favor, não insista.

O lançamento em São Paulo ocorreu no último sábado, dia 25.

Mais…

- Leia perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Leia mais sobre a autora em seu blog, Diário da Odalisca;
- Divirta-se conhecendo mais da autora em seu blog anterior, que fala dos seus 73 subempregos;
- Leia e ouça entrevista com a autora no programa Letras & Leituras;
- Leia entrevista com a autora no site Verbo 21;
- Leia mais sobre a autora no Dossiê Índigo do site da Cronópios;
- Veja algumas ilustrações no blog da ilustradora Mariana Zanetti;
- Veja mais ilustrações do livro na Galeria de fotos da ilustradora Mariana Zanetti

Casal verde
Índigo
Ilustradora: Mariana Zanetti
Editora Hedra
, 48 págs, R$ 28

 

julho 27, 2009 Publicado por | Infantil | , , | Deixe um comentário

Bagunça e Arrumação, de Marilia Pirillo

Capa

Capa

Marilia Pirillo é ilustradora desde muito, como ela mesmo diz, mas eu desconfio que é desde sempre. Basta ver o que transborda de suas ilustrações. É paixão que vem de berço. Mas tão envolvida como é com as histórias para crianças, não se conteve, e estreou também como escritora, publicando em 2008 o livro infantil Baratinada. Outros vieram e, em 2009, ela nos presenteia com Bagunça e arrumação.

O livro apresenta duas meninas, que são chamadas de forma muito especial: Bagunça e Arrumação. E elas formam uma dupla e tanto! Enquanto uma gosta de tudo misturado, a outra prefere tudo organizado. Por causa disso, às vezes, as coisas acabam em confusão e cada uma vai para um lado. Mas isso nunca dura muito tempo, logo elas percebem que é muito chato ficar sozinhas e voltam a brincar, correr e aprontar sempre juntas por toda parte!

E contando uma história deliciosa, ela vai deixando as perguntas que deram origem ao livro:

O que você acha que veio primeiro: a Bagunça ou a Arrumação?
Dá pra bagunçar o que não está arrumado?
Dá pra arrumar o que não está bagunçado?
Existe bagunça sem arrumação?
Que graça pode ter a arrumação sem a bagunça?

O lançamento ocorreu no Salão do Livro, em junho.

Mais…

- Leia o perfil da autora aqui no Sobrecapa;
- Leia a entrevista que a Marilia Pirilo deu a Marcelo Maluf, publicada no blog Labirintos no Sótão
- Confira no blog Pró-Letramento em Ação o roteiro de leitura que Tatiana Oliveira preparou sobre a obra Bagunça e Arrumação
- Confira no site da autora suas ilustrações, divagações e livros publicados

Bagunça e Arrumação
Marilia Pirillo
Editora Prumo
, 24 págs., R$ 23,90

julho 22, 2009 Publicado por | Infantil | , , | 1 Comentário

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.213 outros seguidores